quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Mãe

O post de hoje vem cheio de emoção, uma emoção que tomou conta do meu peito e encheu meus olhos de água!
A emoção que tomou conta de mim foi um misto de amor e medo. O amor mais intenso do mundo, o de mãe, e o medo do futuro. Não é a primeira vez que sinto esse medo, até porque ele está atrelado ao meu presente. Tenho medo de quando o Henrique não couber mais no meu colo (e quase não cabe mais!), medo do dia em que ele não se divertirá quando sair comigo e com o pai, medo de ir viajar como casal e não como família, medo de não saber tudo o que se passa com ele e na cabeça dele. Medo de não enxergar algo importante quando ele estiver crescido, medo das mudanças que irão acontecer e que são necessárias para o crescimento dele e para o meu. Medo de deixar de ser o centro do universo dele, aquela com quem ele pode contar a qualquer momento e para quem ele pode falar qualquer coisa sobre qualquer assunto! Medo de que a vida o machuque...



Sempre criei ele para ser independente, sei que a independência é que o fará se virar e tenho que pensar em deixá-lo pronto para o dia em que nós (eu e meu marido) não estivermos mais aqui; embora eu acredite hoje, que a presença, o carinho e os conselhos dos nossos pais nunca sejam demais e que iremos precisar deles para o resto de nossas vidas (mesmo que isso não seja possível, e embora a gente só entenda isso depois de adultos). Mesmo pensando desse jeito, tenho medo e uma dor (quase que física) cada vez que ele deixa de precisar de mim para alguma coisa, e muito orgulho dele, é claro!
Esse post é um desabafo, um pensamento em voz alta, um texto escrito sobre lágrimas e na torcida de que eu tenha maturidade para lidar com cada uma das fases do meu pequeno mesmo sabendo da minha fragilidade e da sensação que sinto por dentro de que apesar de estar ficando cada dia mais velha, ainda me sinto tão inexperiente as vezes!
Sempre achei que as mães eram muito seguras e sabiam de tudo e hoje enxergo as dificuldades e inseguranças que a minha passou e deve passar até os dias de hoje!

Lívia

Nenhum comentário: