sexta-feira, 30 de maio de 2014

4 anos do mais intenso amor da minha vida...

Henrique,



... essa data chegou mais uma vez... que bom!!!
Dia primeiro de junho é o seu dia!!!
veio aproximando-se aos poucos, quase imperceptível!

No último mês comecei a sentir um nó na garganta, como sinto todos os anos quando o seu aniversário, meu pequeno (nem tão pequeno assim!), chega. Me sinto saudosista, tenho uma mistura louca de sensações que só passei a experimentar depois do seu nascimento.
Sinto uma intensa alegria por você irradiar os meus dias há 4 anos, sinto uma imensa alegria em vê-lo crescer saudável e feliz! Penso lá longe: quando você for um homem feito, mas presente, um homem em que eu ainda enxergue esse menino maravilhoso que você é: alegre, brincalhão, cheio de sonhos... Ao mesmo tempo, me pego chorosa, com uma saudades imensa de quando ainda se mexia dentro da minha barriga, com saudades do seu choro de madrugada, com saudades da época em que te amamentei, sinto falta da época em que pude vê-lo se virar pela primeira vez, engatinhar, dar seu primeiro passinho... Tenho saudades de ouvir seus gritinhos de euforia quando escutava uma musiquinha cantada por mim, tenho saudades da sua gargalhada cada vez que jogava um brinquedo no chão para que eu pegasse (e achasse graça nisso mesmo depois de umas 15 vezes...).... Tenho saudades do bebê que você foi, mas amo o menino que você é! Meu companheiro, que adora caminhar de mãos dadas comigo, que me pede para deitar ao seu lado de vez em quando, meu menino que adora um cafuné, que é meigo e carinhoso, que beija a minha mão, me chama de linda e me diz "eu te amo" várias vezes ao dia!!!
Quando fecho os meus olhos posso sentir cada uma das coisas que listei acima como se estivessem acontecendo neste exato momento!
Também tenho medo... sabe aquilo instinto protetor, o tal instinto materno?! É ele que me atormenta com o seu crescimento. Tenho medo do que virá, tenho medo do futuro, medo de deixá-lo livre para voar, medo desse mundão aí fora... Queria que você fosse eternamente pequeno e que coubesse eternamente em meu abraço, mas sei que daqui a pouco, sou eu quem irá caber em seu abraço! Espero corresponder seu amor com mais amor ainda todos os dias, espero ser uma mãe carinhosa, atenciosa, que esteja sempre ao seu lado, com quem você sempre possa contar, para quem você possa desabafar os seus medos e angústias e com quem você possa comemorar as suas vitórias e alegrias...
Quero ser tudo isso apesar de saber que sou imperfeita, que tenho muito a aprender (e como tenho aprendido com você!), que tenho meus medos, minhas manias... Espero que quando você estiver crescido veja em mim todo esse amor e tempo que sempre dediquei a você e que você venha até mim sempre que precisar e que possa estar ao meu lado sempre que eu também precisar! (Pode não parecer, mas os adultos e os velhos também precisam de atenção, carinho e paciência!)...
Filho, quero que você saiba que você é o nosso milagre (meu e de seu pai), quero que saiba que você é a nossa razão de viver, nosso oxigênio, nosso amor maior! Você faz nossos dias mais felizes, nossos invernos mais quentes, nossa casa mais alegre!!!
Você é sempre será a melhor parte de nós!!!

Obrigada por ter chegado, virado nossas vidas de ponta cabeça e ter trazido as crianças que existem dentro de nós à tona! Obrigada por fazer parte das nossas vidas!!!

Nós te amamos demais!!! Parabéns, muitas felicidades, brincadeiras e sonhos realizados!!! Que o Papai do Céu continue sempre cuidando de você e te abençoando!!!



Mamãe e Papai.

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Que delícia que é brincar!!!

Estamos na Semana Mundial do Brincar e hoje é um dia muito especial: é dia de blogagem coletiva sobre o assunto... e como o nome do blog diz (Diversão em Família), diversão e brincadeira é o que mais gostamos por aqui!!!
Vou começar falando de mim...
Quando eu era criança, eu gostava de brincar de muitas coisas... Gostava de brincar de "Nunca 3" com meus amigos da escola. Essa brincadeira, para quem não conhece, funciona assim: Várias crianças sentam no chão (de duas em duas), cada dupla deve ficar com uma criança sentada na frente e outra sentada atrás. Depois define-se um pegador e alguém que irá fugir. A criança que está fugindo deve sentar atrás de uma dupla para não ser pega, assim que ela sentar, a criança que está na frente sai correndo para pegar o antigo pegador, que por sua vez foge e senta atrás de outra dupla e assim por diante. Se o que está fugindo for pego, trocam de papéis. Pegador foge e o fugitivo vira pegador. Também gostava de brincar de "Corre Cotia", de bambolê e bolinha de sabão... mas, meu brinquedo favorito era uma boneca em especial. Dei a ela o nome de Isadora. Era a única boneca que tinha os olhos castanhos como os meus. Ela usava pilhas para falar, mas nunca gostei de bonecas que falavam ou se mexiam, sempre gostei de imaginar, de brincar. Por isso, nunca coloquei pilhas na Isadora. Andava com ela para cima e para baixo, dava banhos, trocava, enrolava-a numa manta e colocava-a para deitar na gaveta que ficava embaixo da minha cama (aberta) e fazia de conta que lá era o seu berço... Pasmem!!!! Brinquei de boneca até os meus 14 anos... Comecei a namorar e ainda brincava com ela (escondido, depois que meu namorado ia embora de casa)! Um dia meu namorado voltou e me pegou brincando de boneca... Achou graça, mas me entendeu e estamos juntos até hoje (há quase 18 anos)!!! Que saudades daqueles tempos, ainda bem que posso revivê-los com o Henrique!!!
Aqui em casa, não poderia ser diferente. O Henrique ama brincar!!! Adora correr, brincar de pega-pega, esconde-esconde, brinca que é um macaco, que é um cachorro, brinca de carrinho, com miniaturas de bichinhos, de super-herói... Ama instrumentos musicais e é claro, ama parquinhos e areia!!!... Adora imaginar coisas também: habilidade que herdou do papai e da mamãe! Se pega um rolo de papel higiênico, logo o transforma em luneta ou caleidoscópio... Colheres viram antenas, um papel se transforma em barquinho, avião ou chapéu, um palito vira baqueta e ele toca bateria ou rege uma orquestra com uma linda batuta. A peça do lego vira flauta... Sem falar nas coisas completamente imaginárias que ele inventa: coloca armaduras, pega o tesouro do pirata, usa óculos, vira detetive, usa mochila (tudo isso sem nada em mãos! Apenas o que sua própria imaginação consegue ver!!!).
Vida de criança deve ser assim: cheia de brincadeira, cheia de diversão, cheia de imaginação, de música, de alegria, de carinho, compreensão e exemplos... Assim elas aprendem e é isso que elas levam como lembrança...


Agora deliciem-se com telas que representam o brincar e fotos do Henrique brincando, sendo criança!!!

("Crianças brincando no pomar" - Jennie Augusta Brownscombe)

("Crianças brincando na praia"- Mary Cassatt)


("Gabriele e Jean"- Auguste Renoir)


Fotos do Henrique:

(brincando de aranha)

(brincando no escorregador)

(jogando bola)

(no parquinho)

(brincando na bacia)

(banho de mangueira)

(na areia da praia)

(no balanço...)

(bolinha de sabão)

(cabaninha)

(brincando com fitas)
.
.
.

E vocês também brincam muito por aí?!

Desejo muitas brincadeiras a todos!!!

Lívia.

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Sea World: Não quero para o meu filho!!!

   Sim, eu estive lá quando fiz 15 anos. Foi um espetáculo lindo ver aquela baleia enorme nadando, brincando, fazendo graça, "sorrindo"... Ela parecia sorrir! Leiam bem: PARECIA sorrir!
   Depois, os anos passam, a gente amadurece, a cabeça pensa mais e mais e dúvidas passam pelas nossas vidas. Até que ontem a noite eu e meu marido resolvemos assistir a um documentário sobre as baleias do Sea World, sobre os adestradores que sofreram ataques por parte dessas baleias, uns ficaram levemente feridos, outros gravemente e outros faleceram de maneiras cruéis.
   Após assitir ao documentário percebi que as orcas não são baleias assassinas como costumamos ouvir por aí. Elas mataram sim, atacaram sim, não estavam brincando... mas os verdadeiros assassinos, os cruéis de verdade são os seres humanos!
   Quando escutei os relatos dos caçadores de baleias, dos adestradores, percebi muita emoção e verdade em seus relatos. Um caçador de baleias disse que caçar filhotes para um parque foi a pior coisa que ele fez na vida. Na captura de um filhote, morreram na rede outras três baleias. Elas vivem em família, não abandonam suas mães e se ajudam nas horas difíceis. Quando capturaram Tillykum (esse filhote ao qual acabei de me referir), a mãe ficou chorando e gritando, todas as outras baleias poderiam fugir, mas ficaram ali, tentando salvá-lo. O caçador falou que só então se deu conta do que estava fazendo, que não segurou a onda e começou a chorar, disse que foi como raptar uma criança, tirá-la da mãe. É isso mesmo! Já imaginou alguém mais forte, vindo e tirando o seu filho dos seus braços? Desumano!!!
   Além disso, como as baleias vivem em grupos (cada grupo fala a sua língua, etc...), quando Tilllykum chegou ao primeiro parque, sofreu muito por não ser aceito no grupo de baleias e com o primeiro adestrador que castigava ele e a outra baleia cada vez que erravam o número ou não faziam o que ele queria que fizessem. Além de ser castigado pelo adestrador (ficar sem comer, etc...), a outra baleia que era mais experiente e não errava os números, era castigada junto e nervosa agredia Tilly com mordidas... Anos mais tarde, após matar uma adestradora, ele foi para o Sea World,é possível entender melhor esses fatos após assistir ao documentário...
   Quando as baleias procriam dentro do parque, muitas vezes as mães são separadas dos filhotes, que são mandados para outros parques e isso gera novas traumas nas mães e nos filhotes.
Muitas vezes as baleias ficam em pequenas piscinas e por stress brigam e agridem-se. Já ocorreu até morte entre as baleias!
   As cenas do documentário são tristes e é claro que por ser uma indústria que dá muito dinheiro, muitos casos são abafados. Me senti culpada por já ter ido ao Parque. Ao final do documentário chorei!
Senti uma mistura de culpa, de tristeza, de vergonha do ser humano. Senti que não posso e não quero levar o meu filho para lá. Não quero que ele ache normal uma baleia viver numa piscina, não quero que ele ache normal baleias, golfinhos, tubarões viverem fora do seu habitat natural e além disso dar show para nós (considerados por muitos como seres superiores!). Não quero que meu filho tenha como exemplo que cativeiros sejam algo natural!
   Eu e meu marido queremos que nosso filho aprenda a respeitar ao próximo. Seja ele ser humano, animal, vegetal... Queremos que ele respeite a natureza, que cuide dela, que entenda que estamos na Terra para convivermos em harmonia e não para destruirmos nosso planeta e as vidas que ela habitam!

   O nome do documentário é: Blackfish. Vale a pena assitir!!!

Quero um mundo onde os animais vivam assim:












(imagens tiradas da internet)

Lívia.



sexta-feira, 9 de maio de 2014

BC - Coisas de Mãe


Puxa, faz tanto tempo que não participo de uma blogagem coletiva!!! Até que enfim consegui e aqui estou eu para participar dessa blogagem deliciosa... Maternar é bom demais e melhor que tudo!!!

Coisas que toda mãe faz...

- Ficar acordada para ter certeza de que o bebê está respirando.
- Beijar e abraçar o filho o dia todo!!!
- Virar criança e brincar junto.
- Ficar angustiada se o filho ficar doente.
- Ficar babando a cada nova descoberta da criança!
- Achar que o filho é a criança mais linda e esperta do mundo!!!
- Verificar se o filho está coberto antes de dormir.
- Rezar e pedir a Deus que cuide muito bem de nossos filhos!!!
- Ficar com o coração apertado sempre que nosso filho se decepciona...
- Chorar de alegria e emoção com frequência.
- Rir das gracinhas do filho...
- Ficar brava quando necessário (sempre com uma dose de mel).
- Sentir-se culpada por quase tudo...
- Ter medo de que alguma coisa aconteça ao filho!
- Sofrer com a rápida passagem do tempo!!!
- AMAR, AMAR E AMAR o filho!!!

Coisas que toda mãe diz...

- Eu amo você!!!
- Deus te abençoe!
- Vou estar ao seu lado toda vez que você precisar!
- Quais são as palavrinhas mágicas?
- Cuidado! Você vai se machucar!!!
- O que foi que eu falei?!
- Vamos brincar?!
- Não precisa ter medo!!!
- Me dá um abraço?!
- O que você quer fazer hoje?!!!
- Parabéns! Estou muito orgulhosa de você!!!
- É claro que você vai conseguir!
- Faça do seu jeitinho!!!
- Agora chega de correr!
- Está na hora de ir dormir!!!
- Venha escovar os dentes!!!
- Está frio lá fora, venha colocar uma blusa!!!
- Quer que eu fique aqui com você?!
- Eu te amo mais que tudo!!!
- Precisa comer para ficar forte!!!


Agora, só para terminar... Qual é a palavra que os filhos mais falam?

MÃAAAAEEEEE!!!!!!!!!!!!!!!

Filho, obrigada por fazer de mim uma mãe! Te amo mais que tudo!!!!



Lívia.


terça-feira, 6 de maio de 2014

Sobre as cores e seus significados...

Toda vez que vamos a alguma casa, o Henrique a classifica por alguma cor...
Pode ser a cor da casa, de uma das paredes ou de algum objeto que lhe chame a atenção...
Isso vem acontecendo desde que ele descobriu as cores e continua até hoje... Faz tempo, viu!?

Acredito que as cores tem grande importância para o Henrique. Além de nomear as casas que frequentamos, ele também adora separar brinquedos por cores na hora de brincar, adora desenhar, pintar... Também adora falar os nomes das cores em inglês... Cores, cores e cores!!!

As suas prediletas são azul e verde! A minha é azul, seguida de cor de laranja!!!

A casa em que morávamos antes era a CASA LARANJA.
A casa dos meus sogros é a CASA VERDE.
A casa dos meus pais é a CASA VERMELHA.
A casa em que uma amiga morava era a CASA ROXA.
Também tem a casa branca, entre outras...

... e quais são os significados das cores?

Segundo o que andei pesquisando por aí:

PRETO: luto, terror, mistério, fantasia, luxo.

BRANCO: Paz, calma, pureza, inocência.

CINZA: Medo, depressão, estabilidade, sucesso.

BEGE: Calma, melancolia.

VERMELHO: Paixão, amor, desejo, orgulho, violência, poder, elegância, requinte, liderança.

VERDE: Vigor, juventude, frescor, esperança, calma, virilidade, contentamento, proteção.

AMARELO: Calor, luz, descontração, prosperidade, otimismo.

LARANJA: Movimento, espontaneidade, amizade.

AZUL: Lealdade, fidelidade, sutileza, sonhos, tranquilidade, compreensão.

MARROM: Maturidade, consciência, responsabilidade, conforto, estabilidade, resistência, simplicidade.

ROXO, LILÁS: Tristeza, prosperidade, respeito, espiritualidade, intuição.

ROSA, SALMÃO: Beleza, saúde, sensualidade, romantismo, carinho, fragilidade, delicadeza, compaixão, felicidade, harmonia.

PRATEADO: Modernidade, inovação.

DOURADO: Riqueza.

...

E você? Qual cor é a sua preferida? Sua casa tem alguma cor que prevalece?

Lívia.