quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Medo de se tornar pai e mãe?

(imagem tirada da internet)


Ultimamente tenho refletido bastante sobre a maternidade: a responsabilidade de ser mãe, a mudança que ocasiona em nossas vidas, a mudança da vida do casal, entre todos os outros dilemas! Muitas vezes também aparecem os medos: para algumas pessoas antes de engravidar, para outras durante a gravidez e para a maioria, depois do nascimento de um filho  e muitas vezes em todos os momentos descritos acima...
De vez em quando me pego pensando se sou uma mãe rígida demais ao me ver dando bronca e colocando de castigo um bebê de 1 ano e três meses... Quando ele apronta, digo que não pode, na segunda vez alerto para o castigo e na terceira vez é castigo na certa! Tem dado certo! Mas o que me faz pensar se estou agindo certo, é ver meu filho, pequeno (um toquinho!!!) andando pela casa, descobrindo novos objetos e caminhos, explorando a nossa casa (cada centímetro dela!), achando a maior graça de tudo e ainda (me mostrando a arte que fez) todo sorridente e feliz!
Muitas vezes fico brava, em outras morro de rir!!!
Quando penso em minha responsabilidade como mãe, vejo que são muitas: não estou falando de trocar fraldas, dar banhos, fazer papinhas... Estou falando de EDUCAR! É muito difícil educar um filho! Me esforço para mostrar para o Henrique os nossos valores! Ele ainda é pequeno e não entende sobre essas coisas, mas faço questão de mostrar que nós o amamos, que eu e o pai dele nos amamos, que somos companheiros, que estamos sempre juntos (família), que respeitamos um ao outro... entre outras coisas... Mas, não consigo deixar de pensar que um dia meu filho será um homem e quero que seja um homem íntegro, honesto, amável e acima de tudo: FELIZ!
Não é fácil ser pai e mãe, nossa vida muda bastante! No começo não há tempo nem para escovar os dentes direito, mas aos poucos a gente vai entrando no ritmo... Existe a mãe e não existe mais a mulher... É preciso tempo e vontade para nos encontrarmos novamente, para nos arrumarmos, passarmos um batom, colocarmos jóias ou bijuterias... É preciso coragem para abandonar as velhas calcinhas, o sutiã de amamentação e colocar uma lingerie sexy. No final das contas, ainda que demore um pouco, um dia voltamos a ser mulher! Mulher e mãe!
E o tempo para o casal? É difícil encontrar, mas é preciso!!! Nem que seja um jantarzinho à luz de velas na sala de jantar! Depois com o tempo isso progride e já se torna possível ir ao cinema, ao teatro, restaurantes...


Mas, o que mais me faz pensar: Apesar de tantas mudanças, de tantas responsabilidades, tenho certeza de que não há nada melhor nesse mundo! Ser mãe é a melhor coisa que pode acontecer para uma mulher!


Homens de plantão! O mesmo digo para vocês, ser pai é incrível: é ver um pouco de você em outro serzinho, é encontrar um amor que você nem sabia que existia!


Por isso, para homens e mulheres que temem ter filhos, saibam que não há nada melhor nesse mundo!!!
A maternidade e a paternidade trazem uma reflexão constante... Sempre estaremos confusos, pensando se acertamos ou erramos... e tenham certeza: iremos acertar muitas vezes, mas também iremos errar, somos seres humanos!!! É isso que faz com que a vida seja tão maravilhosa e encantadora!!! Sempre nos prega peças e também nos traz lindas surpresas!!! Então não temam... Apenas vivam!!!


Lívia.

15 comentários:

Minha Filha Minha Vida disse...

Olá !!! tb reflito bastante sobre tudo isso (tb sou enérgica) e se não pode não pode e pronto (minha mãe acha que é cedo demais, mas vou confessar que sinto que a minha Isa mesmo tendo somente 1 ano e 3 meses já entende (mesmo assim as vezes ela quer e pronto) mas nunca ela vai ter tudo o que quiser então é melhor ela aprender o que eu não aprendi e se conscientizar disso antes que se frustre !!!!

ps.: é incrível quando começamos a perceber que a vida depois de um tempinho volta ao "normal" ao mesmo tempo em que tudo fica especial !!!

beijos

Nine disse...

Esse reencontro consigo mesmo e com um pouco da vida que se tinha antes é algo doloroso no inicio, mas com tempo, dedicação, paciência e até mesmo resignação para entendermos os ciclos da vida, tudo se acomoda, num outro formato, é verdade, mas nem por isso menos especial.

Beijos,
Nine

Dadinha disse...

Li venho retribuir a sua visita ao meu blog http://dadinhahistorias.blogspot.com/
e dizer que tb adorei o seu voltarei.
Bj

Renata disse...

Olá! Obrigada pela visista la no blog :)

Refletindo sobre seu post.
Ser mãe é maravilhoso e não deixa de ser um eterno aprendizado ;*

um beijos
Renata

Telma disse...

Oi Lívia! Adorei o texto! Esse peso da responsabilidade tb me atormenta. É uma grande missão ! Linda mas difícil! todos os dias peço sabedoria a Deus. Sobre o castigo é necessário. Com o meu Henrique comecei agora com 2 anos. Beijos e prazer

Ivna Pinna disse...

Oi Livia, to passando pra retribuir a visita!
Tbm me pego com esses pensamento, muitas vezes. Sempre me questiono: será que eu sou mesmo capaz de EDUCAR uma criança? Transmitir valores, ensinar sobre a tolerancia e acima de tudo o respeito.
Aqui tbm, nós nos esforçamos ao máximo, pra transmitir o amor que temos um pelo outro.. Na idade deles, tão piticos, acho fundamental!
Queira Deus que nós tenhamos sucesso nessa batalha! rsrs

Beijo
To seguindo vcs! =)

Diário da mãe e da filha disse...

Oii!! Eu acabei de ler seu post, e estou aqui refletindo. Sabe, ser mãe é tudo isso aí que você falou. Realmente ser mãe é uma coisa maravilhosa!
É difícil educar um filho SIM. Mas ninguém disse que a vida seria fácil

Beijos

Laiz disse...

Que lindo Li!!!! É isso mesmo vamos errar muito, acertar e errar de novo. Mas ser mãe (e pai) é a melhor coisa que existe! Sou muito muito mais feliz mesmo com toda a responsabilidade que passei a ter (que é o educar) agora. Amooo muito!
Bjinhos e bom domingo!

Ilana Galhardi disse...

Oi, Li, já tinha tentado comentar outro dia mas a internet travou...
Minhas dúvidas e reflexões são similares... Só que ás vezes eu penso se deveria ser mais firme com o Biel?!
Não sei...Talvez só no futuro saibamos...
Como vc diz, cada mãe tem um jeito!
bjo

Ariane disse...

Oi!!! passei pra agradecer a visitinha la...

Realmente é tudo de bom nessa vida, me sinto realizada e se Deus quiser me realizarei mais 1 vez daqui a algum tempo...rs

Olha, só pra esclarecer,tbm não acho legal ficar mexendo nas coisas não, tbm imponho limites e fico bem brava as vezes mas qdo me irrito muito eu respiro fundo e só converso com ele dizendo que nao foi legal o que fez, eu ainda o acho novo pra colocar de castigo, daqui um tempo sei que vou ter que fazer isso mas por enquanto eu arco totalmente com a responsabilidade dele aprontar pois se fez alguma coisa quer dizer que eu não estava de olho nele...

mas respeito o jeito de cada um e acho q nós sempre daremos o melhor de nós por esses pequenos.

beijos

Futuros Papai e Mamãe disse...

Oie querida..
Amei seu post.. sabe que como tentante ainda tenho medo de ser mãe, tenho medo de como vai ser após o nascimento, como vai ser com o maridão.. tenho medo de perde-lo em meio a fraldas, mamadeiras e muito atenção ao baby.. de certa forma seu texto me trouxe um pouco de compreensão..

Beijos..
e estou te seguindo viu!!!
Até

Ju Silva disse...

Oi Li, vim retribuir sua visitinha e fuçando aqui no seu cantinho vi fotinhas do seu filhotinho que fofo!
Acabei de descobrir a gravidez nem fiz a primeira ultra ainda, to mega ansiosa, vou adorar ter uma mamãe já experiente entre minha amigas.

Vou seguir seu blog, adorei!

Beijinhos

Meisy disse...

Oie! Obrigada pela visita e seja bem-vinda! Bjs

Nucy disse...

Oiê!
Retribuindo a visitinha e brigadinha pelo carinho!!!
Agora te seguindo... o/ \O
Concordo contigo, o difícil não é criar e sim educar! Acho que toda mulher tem suas dúvidas, receios em como será educar os filhos, mas quando somos tentantes o desejo de ser mãe ofusca um pouquinho esses receios...
Xerim

Lidianne disse...

Olá! Vim retribuir a visita =) Estou amando seu blog e vou ficar te seguindo.
Da mesma forma que você, também me pego muitas vezes reflitindo se estou sendo rígida demais com minha pequena, pois quando eu digo NÃO, é não e ponto! Pois acho que desde já ela deve saber que não é não. Mas as vezes acho que estou querendo ensinar limites a ela cedo demais, já que ela tem apenas 1 ano e 6 meses.
Abraços!!