terça-feira, 26 de julho de 2011

Dia do Vovô e da Vovó...

Na semana passada fiz uma homenagem aos meus queridos avós e hoje, Dia dos Avós, quero fazer uma homenagens aos meus pais e pais do Rafael e avós do Henrique...


Filho, você é um privilegiado por ter todos os seus avós e por tê-los tão pertinho sempre te mimando, te dando muito carinho e atenção! Você é muito amado por todos eles...


Pai, mãe, Ri e Jorge,


Esta é uma homenagem minha, do Rafa e do Henrique para vocês que são os melhores avós do mundo!!!







Amigos Maduros


"Você já experimentou observar amorosamente a árvore de sua família,
a seiva que lhe dá vitalidade, as flores e frutos que ela produz
e imaginar as raízes que lhe dão sustento?
Em sua memória, em cartas e cartões guardados, em álbuns de fotos
ou, quem sabe, ainda bem próximo de você, há quatro pessoas
que acumulam sabedoria e ternura, carinho e compreensão
e têm muitas histórias para contar.

São os avós, pessoas que, revendo o passado com gratidão
e abraçando o presente com serenidade, ajudam a vislumbrar
o futuro para seus filhos e netos.

Essas pessoas queridas, depois de percorrem tantos caminhos
e já colhendo os frutos do seu trabalho e amor...
de repente, deparam-se com nova onda de vitalidade, à medida que,
rebentos de uma nova geração, os netos, reacendem nos avós
o gosto pela vida e a lembrança do tempo de infância.

Mesmo com algumas carências próprias da idade,
os avós têm lugar especial na vida dos netos,
pois são amigos maduros, livres e criativos,
afetuosos e compreensivos.

Experimente pedir a eles para contarem histórias do tempo
em que tiveram que criar e educar seus filhos.

Converse com eles e descobrirá tantos detalhes curiosos
que irão enriquecer sua história. Faça anotações, gravações, fotos.
Chegará o tempo em que, depois de percorrer o mundo,
as rodas de amizades, você voltará a atenção
para a história de sua família, que é a sua história.

Qual uma colcha de retalhos, a vida foi se ajeitando aos poucos.
Entre choros e abraços, a vida foi criando seus laços,
legando experiência, valores e uma cultura tão própria da família.

Você conhece as canções de ninar que acalentaram e embalaram
seus pais? Que tal pedir para seus avós cantarem para você?
Se esse seu desejo for agora apenas uma lembrança,
uma prece, que Deus acolha seu recado e sua saudade.

Parabéns aos nossos amigos maduros,
cheios de escuta e compreensão - nossos avós -
cujo dia é celebrado em 26 de julho,
lembrando São Joaquim e Santa Ana,
pais de Maria, Mãe de Jesus!"

Autor: Ir. Zuleides Andrade


Nós amamos vocês!!! Obrigado por tudo!!!


Beijinhos!!!


Lívia, Rafa e Henrique.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Aos meus queridos avós...

Ah! Faz muito tempo que penso em escrever esse post. Como está chegando o dia dos avós, resolvi postar hoje…

(Imagem tirada da Internet)

Eu fui uma criança muita amada e mimada pelos meus avós. Infelizmente eu não conheci a minha avó paterna, (Isolina) que faleceu quando meu pai ainda era criança e vivi pouco tempo ao lado do meu avô paterno (que também faleceu cedo! Eu tinha apenas 8 anos!).

Infelizmente vai fazer quarto anos que perdi o meu avô materno também, mas felizmente ainda tenho minha avó maternal!!!

Meus avôs foram muito especiais em minha vida, cada um a sua maneira: meu avô paterno (Isidoro) era muito brincalhão e eu me lembro de quando ele brincava comigo, me lembro dele fazendo água sanitaria para vender, também lembro dele na fábrica de lajes (ele era dono de uma fábrica de lajes!!!) Eu adorava brincar na areia, adorava ver a betoneira, os enormes caminhões… Também me lembro dele nadando na piscina da sua chácara, colhendo e comendo frutas do pomar: manga e mexiricas… Me lembro dele em seu quartinho, na parte de baixo daquela casa enorme… Quanta saudade…

Meu avô materno (Rubens) deixou marcas ainda mais profundas… Afinal de contas, eu convivi com ele por mais tempo… Me lembro do jeito carinhoso que ele me chamava: Pititinha… Me lembro de passar horas o vendo cozinhar. Ele era um ótimo cozinheiro! Trabalhava com isso!!! Bastava eu falar que estava com vontade de comer alguma coisa e lá ia o meu avô para a cozinha… Fazia salgadinhos, sonhos… Fazia o macarrão (ele mesmo fazia a massa, passava no cilindro…), também fazia todo tipo de doces e salgados, tudo sem receita e que delicia que eram as suas comidas!!! No meu aniversário de 15 anos, ele preparou os salgados e decorou uma mesa inteira de frutas, com cortes especiais. A mesa ficou maravilhosa!!! Foi meu avô que preparou toda a comida do casamento dos quarto filhos dele. Ele também queria preparar a comida do meu casamento, mas ele já não estava muito bem de saúde, então eu pedi que ele apenas aproveitasse a festa. Espero que ele tenha entendido!!! Quantas vezes ele me pediu um neto!!! Sinto tanto por ele não ter conseguido conhecer o meu filho! Infelizmente eu não consegui engravidar a tempo!!! Mas tenho certeza de que não importa onde ele estiver, ele está olhando por nós!!! Vozinho, você também deixou muitas saudades…

Minha avó materna, (Marlene) graças a Deus, ainda é viva… É uma mulher bastante ativa, joga baralho, passeia, viaja, cozinha… O que posso falar da minha infância com ela: adorava dormir em sua casa!!! Adorava comer os seus bolinhos de chuva e adorava vê-la fazer bolos… Era boleira e fazia muitos bolos para vender… Mas eu gostava mesmo de bolo simples, sem recheio… Então eu pedia: “Vó, faz bolo de nada!!!”. Também sou muito fã do seu doce de queijo (de cortar)… Fico muito feliz por ainda termos ela com a gente e espero que ela ainda fique por muito tempo!!! Também fico muito feliz pore la ter visto o Henrique nascer, engatinhar, andar… Beijo vó!!! Feliz dia da avó!!!

Não posso deixar de fora os avós do meu marido, que são como meus avós também. Eu comecei a namorar com 14 anos e fui adotada pela família dele. Tive o prazer de conhecer os quarto avós: Vô Balanin (carinhoso, sempre nos esperando para um chá com bolo, sorvete, bolachinhas e a par de todas as novidades do mercado… Ansioso que só ele!!! Um homem culto, de boa conversa, inteligente…). Vó Lourdes (conversadeira, forte e uma mulher de personalidade!!! Depois que a conheci ela já não fazia mais artesanato, mas em sua casa estão muitas coisas feitas pore la: pinturas em espelhos, em vasos, fazia bonequinhas…). Vô Paulo, com quem tenho convivido bastante ultimamente (carinhoso, brincalhão e tímido…). Felizmente está mais perto da gente e convivendo bastante com o Henrique, que o adora… É um bivô muito presente e está sempre fazendo o Henrique dar risadas… Pena que essa proximidade se deu por um acontecimento triste, o falecimento da avó Conceição. que infelizmente nos deixou no começo desse ano (também carinhosa, prendada em fazer crochê, em pintar panos de prato, em cozinhar (também cozinhava muito bem…), e como cuidava das plantas, fazia qualquer planta ressuscitar…).

Meus queridos avós, avós que estão aqui, avós que já se foram… Saibam que eu amo muito todos vocês e que cada um contribuiu e contribui de uma maneira diferente em minha vida. Cada momento que eu passei ao lado de vocês eu aprendi muito e fui muito feliz e os momentos que ainda vivo ao lado de vocês me deixa radiante e me faz pensar em quanto eu sou sortuda port ê-los em minha vida!!!

Beijos a todos vocês!!! Eu os amo muito!!!

Sua neta, Lívia.

domingo, 10 de julho de 2011

A Casa

Depois de um ano do nascimento do meu filho, resolvi postar algo que eu já havia postado num antigo blog meu (que já nem existe mais...), mas que me faz lembrar de quando o Henrique ainda estava em minha barriga...


... Durante a minha gravidez eu pensava muitas vezes em uma música do Vinícius de Moraes: " A Casa" e cheguei a uma conclusão.
Já vou contar que conclusão é essa. Antes, preciso dizer que quando um artista compõe uma música, pinta um quadro, faz uma escultura, uma coreografia, ele expressa emoções e pensamentos dele, porém, o espectador pode senti-la e interpretá-la de acordo com a sua vivência e os seus sentimentos... Por isso, ao pensar na música "A Casa", pensei que talvez, a casa citada por ele seja a barriga da mãe, que abriga o bebê tão esperado...
É uma casa engraçada por não ter teto, por não conseguirem entrar nela, pois quando " a casa da barriga da mãe" se forma, o óvulo já foi fecundado e ninguém mais pode entrar... A casa não tem chão, não tem parede, penico... mas, a casa era feita com muito esmero, cuidado, perfeição, porque realmente é um milagre da vida, de Deus!
A "Casa" é feita na rua dos bobos, porque os pais, a família, todos que são ligados àquela gravidez, ficam bobos. Bobos no bom sentido...
A "Casa" tem número zero porque a barriga é marcada pelo umbigo, que tem a forma de 0...
Não é uma graça pensar na letra dessa música com essa interpretação?
Acho que tem sentido!

E vocês, o que acharam? Espero que tenham gostado!


(imagem tirada da internet)

Agora vou postar a letra da música:

A CASA

" Era uma casa
Muito engraçada
Não tinha teto
Não tinha nada
Ninguém podia
Entrar nela, não
Porque na casa
Não tinha chão
Ninguém podia
Dormir na rede
Porque na casa
Não tinha parede
Ninguém podia
Fazer pipi
Porque penico
Não tinha ali
Mas era feita
Com muito esmero
Na rua dos bobos
Número zero." 

(Vinícius de Moraes)


Lívia.

(Esse post estava anteriormente em meu antigo blog. Como não escrevo mais nele e gostava deste post, aproveito para dividi-lo com vocês.

terça-feira, 5 de julho de 2011

Dia da Tia

Existe o Dia das Mães, Dia dos Pais, Dia dos Avós, Dia dos Professores... E o dia da tia?
Dia da tia não existe... Existe o dia da Tia solteirona (25/10) e eu não gosto do termo!!!
Como as tias do Henrique são solteiras ainda (porém, uma delas namorando e a outra se casará no final do ano), mas NÃO são solteironas...
Resolvi dedicar o dia de hoje para elas!!!


Tia Laura e Tia Carol, tias corujas, tias carinhosas, tias brincalhonas... Tias que o Henrique tanto ama e adora...







Um beijinho carinhoso do Henrique para vocês!!!


Ah! Um beijinho para a vovó Rô e para o vovô Célio pelo aniversário de casamento (hoje). Parabéns!!!
Que o Papai do Céu continue abençoando o casamento de vocês!!!


Lívia.